Igor Maia - SE

Posted 01:30 by tiuℓ in Marcadores:
Da foto: tirei em 1998, quando eu tinha 10 anos. Tinha viajado pro Rio, e foi tirada num parque de diversões lá. A melhor viagem da minha vida, e foi a única vez que fui pro Rio de Janeiro. =/

Moro numa cidade que tem muitos homossexuais, mas a maioria é enrustida ou tem medo de lutar por seu espaço na sociedade. É uma cidade que julgam muito pelo que você é e pelo que você tem, sobretudo se você é homossexual. Aí vocês imaginam o ambiente que nasci.

Sempre fui paparicado pela minha família. Tive uma infância tranquila, até. Mas nunca fui muito de ter muitos amigos. Até porque ninguém iria falar com alguém gordo, dentuço, que usasse óculos e, porque não, homossexual. Sim, já dava pinta. E eu tinha meus complexos, né?

Curtia carros e essas coisas de menino, mas olhava com certo fascínio coisas de menina, como bonecas. Chegava até a desenhar roupas pra elas com uma prima que a considerava minha amiga (mas que parei de falar com ela porque achava que eu era gay. e tava certa, né? rs)

Na escola, eu tirava excelentes notas e fazia ótimos trabalhos. Sempre fui responsável nos estudos, e era um menino obediente. Entretanto, ninguém fazia questão de ser meu amigo, ninguém me chamava pras festinhas que meus colegas faziam. Sem levar em conta os xingamentos que eu ouvia. Era inadequado demais pro povo. E isso gerou uma insegurança em mim que propaga até hoje. Com o corpo, com o meu estilo de vestir, com tudo. (lembro até um dia que eu, aos 10 anos, pedi a minha mãe pra que eu fizesse uma cirurgia plástica pra eu ficar magro e bonito. Vai entender, né?)

Comecei a me tocar que era gay quando via os meninos dos colégios por onde estudei. Sempre queria conhecer o mais bonito, mas ele sempre tava ocupado demais falando com as meninas... E já tive uma quedinha pelos meus professores. O de natação e o de português, sobretudo... E eu pequeno, nunca entendia. Até ficar mais velho.

No Ensino Médio, mudei de colégio mais uma vez. Mudou os ares, ficou um clima melhor. Mas eu ainda sofria bullying dos novos colegas. Me xingavam de viado, etc. Eu ficava com medo, fugia. Eu fiz poucos amigos lá.

À medida que eu crescia, eu tentava de um tudo pagar de hétero. Cheguei até a namorar com uma garota, que é minha amiga até hoje (e não sabe, em tese). Foi um tipo de coisa que me arrependi em ter feito isso.

E quanto à família? Meu pai havia percebido do meu jeito, e conversava muito comigo pra eu ser mais homem (sic), pra eu falar grosso, pra não chamar meus pais de painho e mainha (cheguei até a apanhar por causa disso), e ele cogitava até em me levar em bordel pra ver se eu curtia. Tudo isso PRA EU SER HÉTERO. E enquanto isso, minha mãe fingia que nada acontecia.
Aos 17, muita coisa mudou. Me assumi pra alguns dos meus amigos, pros meus pais (meu pai soube quando viu alguns arquivos proibidos na minha pasta #RS)... O que houve destes anos pra cá não dá pra contar em um breve post.

Hoje em dia sou super de boa com a minha sexualidade, mas não converso sobre isso com meus pais porque eles não estão preparados pra isso (e talvez nunca fiquem, já que eles se preocupam mais pelo fato de estudar e ter um emprego bom logo que qualquer outra coisa).

E eu? Atualmente trabalho num órgão público, que entrei por meio do concurso, e tô terminando a minha faculdade de Direito. Entrei no Centro Acadêmico na minha faculdade e no DCE pra mostrar às pessoas que um gay é capaz de qualquer coisa (e servir de exemplo). Não preciso esconder a minha opção na faculdade. Não acabou a zoação, mas diminuiu bastante. Até levo na esportiva. A maioria dos meus amigos e dos meus colegas da faculdade sabem da minha condição (só não contei a três das minhas amigas porque são religiosas e tenho receio disso).

Acho que a Internet me ajudou muito a me salvar de alguma besteira que fosse fazer porque eu era gay. Foi bom conhecer pessoas que gostavam das mesmas coisas que eu, sobretudo as que moram daqui. Não estou só no mundo. Tem muitos que são gays como eu, gordos como eu, nerds como eu. E minha família nem desconfia. Minha mãe finge ainda que sou hétero. E meu pai sabe da minha situação, mas não comenta muito. Mas todo mundo sabe de mim. No final das contas, foi melhor assim.

Enfim, sou feliz como eu sou. I'm born this way: gay, negro, com problemas de peso, nordestino e nerd (jogo pokémon até hoje. =P)

Primeiro crush por famoso: conta por eu me apaixonar (ou achar bonitinho) o Jonatas Faro, que fazia o Samuca em Chiquititas? *____* Sou gamadinho por ele até hoje.

O twitter do Igor é este e o facebook é este.


10 comment(s) to... “Igor Maia - SE”

10 comentários:

Ju disse...

Ai eshoo que fofo vc no Terra Encantada...



Igor disse...

Né? Tô todo munitinho. Parecendo gente. <3



França disse...

mudou na-da. olhei a foto de pequeno e achei que era de agora.



Fábio Henrique disse...

muito boa a descricao!



Nick Gray disse...

Tbm jogo pokémon o.o



Flávio Torquato disse...

Igor, tu é de que cidade daqui de SE?
(pode falar :X ?)HAHAH, porque os interiores são lotados de gueis inrustidos que falam que detestam as gueis alheias. Principalmente Lagarto.



Igor disse...

Oi, Flávio! Sou de Aracaju. =) Capital, mermo. Tu é de onde?



carlos henrique caetano disse...

que foto linda, Igor!



Igor Maia disse...

Obrigado. :)



Jester Smith disse...

Obrigado por compartilhar ... Interessante!


Jester@Adam4Adam



Postar um comentário